Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Dia 05 - Caminho Francês de Santiago

por daraopedal, em 27.09.10

Hoje, bem cedo, o DJ de serviço decidiu brindar-nos com cânticos gregorianos, logo pelas 6 da manhã para nos acordar. Mesmo assim, ainda me deixei ficar até às 7h. Saímos do albergue de S. Saturnino (Muito bom!) às 8h em ponto, mas 1 km depois tive de parar para voltar a tratar dos travões da bicicleta. Até Nájera atravessámos imensas zonas de vinhedos.

O troço era em terra dura e aos buracos, o que se tornava muito desagradável para o rabo. Em Nájera, de assinalar as falésias rochosas de tom avermelhado escuro, junto aos prédios e o facto de termos reencontrado a ciclista que tinha pernoitado no mesmo albergue.

Devia ser alemã e pretendia seguir para Madrid depois de chegar a Santiago,sempre de bicicleta. Continuámos no piso "rompe-cús" e em subida contínua, quase imperceptível, mas desgastante.

Em Stº Domingos de la Calzada, aproveitámos uma estação de lavagem automática para tirar a lama seca do quadro das bicicletas e o pó acumulado nas transmissões.

Ficaram como novas. Fomos a uma padaria e a um mini-mercado e lanchámos numa pequena praça perto do albergue.

Em seguida ainda fomos espreitar a zona da catedral e da torre, mas não entrámos.

Com tanta volta, acabámos por por perder o trilho e tivemos de andar para trás e para a frente para o reencontrar.

A partir daqui as zonas de vinha desapareceram completamente para dar lugar aos imensos campos de trigo (já ceifado) onde só restava o restolho.

Também encontrámos zonas de campos de girassóis, onde os peregrinos se divertiam tirando algumas sementes de forma a criar desenhos na própria flor. Muito bonito e original.

A partir de Redecilla del Camino, entrámos na província de Castilha, facto indicado por uma grande placa e, no centro da aldeia, por um marco.

O caminho já não era o "rompe-cus" mas antes de terra e gravilha, o que sempre é melhor. Os últimos quilómetros até Belorado foram sempre a descer, e que bem que souberam!

Carimbámos num albergue que já estava lotado e seguimos até à praça mayor para almoçar quando já passava das 15h. Já eram 16h15 quando saímos do restaurante com ideias de ficar em Villambista, a 6km, no albergue. Por ser dia de festa local, estava fechado. Continuámos até Espinosa del Camino, mas uns betetistas que estavam parados por lá disseram-nos que estava cheio. Mau! Felizmente, em Villafranca Montes de Oca, tínhamos lugar no albergue, num edifício que parecia uma antiga escola.

À noite, depois de jantar, ainda tivemos oportunidade de assistir a um espectáculo de danças russas que decorreu junto à igreja. Os trajes dos bailarinos eram super coloridos.

 
   

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:47



O relato das minhas aventuras pelos Caminhos de Santiago

Pesquisar

Pesquisar no Blog  


calendário

Setembro 2010

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Contador